sábado, abril 25, 2009

Om Lounge 2009


Todos os finais de dia deveriam ter uma banda sonora assim, fossem eles em Nova Iorque, Tóquio, Paris, Londres, Ibiza, Porto, Lisboa ou Ponte de Sor. Música electrónica, downtempo, com produção ao estilo deep house, vozes sensuais e muitos sorrisos.
A norte-americana OM Records acaba de lançar mais um volume de "Om Lounge", este com o subtítulo "15 Year Anniversary Edition", onde se traz novos e sofisticados ambientes de descontracção e descompressão com nomes conhecidos como J-Boogie’s Dubtronic Science, Rithma, Lisa Shaw, Samanta Jones ou novos valores como é o caso de Gelka, Rocket Empire (que dizem ser os novos Kruder & Dorfmeister), Kissey Asplund ou Bombay Bicycle Club.

>posto de escuta<



press release:
Om Lounge returns to set the record straight!

“Om once again redefines the boundaries of contemporary lounge with a gamut-running collection of sassy soul and dream-inducing downtempo on the spliffy, cooled out cocktail tip.” – THE EXAMINER

Om Records is proud to bring back a fan-favorite series in celebration of 15 years of forward thinking music. This edition introduces a new batch of burgeoning international downtempo artists making waves in the sea of underground chilled beats. Featuring nine exclusive tracks, including a new one from Om’s most downloaded artist artist, Samantha James.
We also feature recently-signed Rocket Empire, making their world premiere as North America’s answer to Kruder & Dorfmeister. Om family members, J-Boogie’s Dubtronic Science, Home & Garden, and Rithma are also showcased. Not to mention hot new tunes from Woolfy vs. Projections, Lisa Shaw, Kissey Asplund, and UK indie rockers Bombay Bicycle Club.

sexta-feira, abril 24, 2009

Falar em código



Speaking in Code, um filme de Amy Grill sobre o mundo do techno, com Modeselektor, Wighnomy Brothers, Monolake, Philip Sherburne, David Day e Amy Grill

Swatch Street Club


A Swatch juntou-se ao artista francês Grems - que para além de ser pintor é rapper, artista hip hop e designer - para criar o relógio Street Club para a colecção The Club.
A inspiração para o projecto vem claramente das ruas, marcado por marcas e sinais gráficos para inspirar provocação, criatividade e ao mesmo tempo ser fashion e trendy.
O Street Club vem numa embalagem especial também ela decorada por Grems.

sábado, abril 18, 2009

Denon DN-S1200

O novo Denon DN-S1200, leitor e controlador compacto de CD / MP3 é o (brilhante) sucessor do modelo DN-S1000 (um dos leitores favoritos da Zona 8).
Compacto no tamanho, negro na cor e equipados com boas funções, este leitor vai fazer as delicias de muita gente. Agora com ligação USB é possível usar armazenamentos externos como flashmedia, HDD ou iPod (mp3/wav), ou ainda controlar qualquer equipamento com MIDI ou softwares de djing como o Serato ou Native Instruments. O leitor interno do DN-S1200 toca Cds, CDDA, CD-r e CD-rw.
Com este leitor de cd /mp3 / controlador tem o maior numero de funções pelo menor preço.


Dia das lojas de discos independentes

Vídeo sobre o evento em Portugal aqui no site do Público.

Popmash - Genetically modified pop culture







Estas são algumas t-shirts / sweat-shirts que pode encontrar no Popmash. Também podem encontrar por lá posters.

sexta-feira, abril 17, 2009

The Black Dog, novo disco

The Black Dog "further vexations"


No passado ano o disco "Radio Scarecrow" dos The Black Dog fez as delicias da secção mais IDM – Intelligent Dance Music – aqui da Zona 8. Para delírio desta secção chegou recentemente ao nosso correio o novo disco do projecto, “Further Vexations”.
Este novo álbum é um sucessor natural do anterior (estão lá todos os elementos característicos dos The Black Dog), com o acrescento, talvez reflexo dos constantes concertos do projecto, de uma atitude mais virada para a pista de dança. Estas novas faixas mais clubbing estão balanceadas com a electrónica downtempo que os The Black Dog tão bem sabem fazer.
Apesar de ter sido criado em metade do tempo do seu antecessor, “Further Vexations” não deixa de fora os detalhes e a qualidade a que o projecto nos habitou e como é característico destes senhores a cada disco conta-se uma historia, cada faixa é um capitulo que segue a história do anterior.
Por detrás deste disco está o cinismo negro da prática anti-democrática do governo e a passividade da grande parte dos cidadãos em relação ao assunto. Citando Martin Dust, um dos The Black Dog, “o nosso principal objectivo é, e sempre foi, o conjunto de liberdades pessoais que se rendem á bandeira do «para sua própria segurança» - cctv, biométrica e as bases de dados mundiais que se auto anunciam como a salvação de nós próprios. O que é necessário para acordar esta gente toda? Quanto mais é necessário para que quem colocamos no poder faça finalmente algo? Basta! Nós acreditamos que as pessoas ficaram preguiçosas e concordando de " partidos políticos beges " que perceberam que se não defenderem nada as pessoas acreditaram em qualquer coisa.”
“Further Vexations” retorna a atitude (anti) politica da música electrónica nos anos 90.


>posto de escuta<


Press release:
The Black Dog are without a doubt one of the hardest working acts in electronic music. No sooner have they released one of 2008’s best albums in Radio Scarecrow and the massive 12” Detroit vs Sheffield which featured 2 remixes from Detroit minimal grandmaster Robert Hood, they now prepare for their next album release, ready to drop in April this year.
Further Vexations is a real successor to Radio Scarecrow. The thinking behind the predecessor is still very evident and with even more bite, but there’s something about Further Vexations that lends itself to the dark club atmosphere. Perhaps the recent bout of constant gigging has had its effect on the act because this one is going to be tearing up floors around the world on its release. The power of these clubbier tracks is perfectly balanced with the sort of sublime downtempo electronica that only The Black Dog do best. Further Vexations might have taken half the time to create but still manages to maintain the same degree of meticulous detail and attention as its predecessor, and, again like Radio Scarecrow, is a complete package of tracks demanding to be listened to from start to finish.
Behind the album is a dark cynicism of the Orwellian practices being carried out by the Government and the passivity of the general public at large to let this happen.Further Vexations looks to rouse the sort of political attitudes that have been sorely missing from electronic music since rave’s backlash against the Criminal Justice Act in the 90’s. Martin continues, “It was these attitudes, actions against and our feelings coupled with visiting many different cities, playing lots of clubs and festivals, that has resulted in a pick up in pace and aggression reflexed in the tracks on Further Vexations - "these are our Vexations reflecting back."



quarta-feira, abril 15, 2009

Ursula Rucker em disco e ao vivo em Portugal

Ursula Rucker "ruckus soundsysdom"

Curiosamente na altura em que é anunciada a vinda da rainha do spoken word a Portugal, chega à Zona 8 o seu mais recente disco "Ruckus Soundsysdom".
Ursula fez uma pausa na sua imparável tournée e foi para estúdio com os produtores Dego (4Hero), Rich Medina, Tim Motzer e King Britt (produtor executivo do disco e que lança o mesmo através da sua FiveSixMedia). O universo de "Ruckus Soundsysdom" é o habitual de Ursula Rucker: junta-se emoções cruas, amor e sensualidade, vidas duras, politica, lutas e tambem diversão ("I'm not always lying in wait for the next problem to tackle / Sometimes, I tell jokes...and fuck."). As rimas por entre ritmos quebrados estão entre a cadencia do spoken word e o rap mas como diz Rucker em "read between the lines", "call me a spoken word artist / When I'm really a dope poem sayer". Neste longa duração Ursula Rucker convida ainda Rucyl Mills, Amatus e da dupla Fisheye.
Sem dúvida mais um grande disco desta grande senhora.

A cantora norte-americana passa por Portugal nos dias 14.Maio (22h00 em Lisboa no Santiago Alquimista) e 15.Maio (23h50 na Casa da Música, Porto) e tem como convidados o guitarrista Timothy Motzer e o pianista Kevin Gift.



>posto de escuta<


80's no Pavilhão Atlântico!!

Here and Now Lisboa 2009 – O melhor dos Anos Oitenta Ao Vivo - chega finalmente a Portugal e traz consigo o melhor dos anos 80, com actuações de Rick Astley, Kim Wilde, Belinda Carlisle, ABC, Nik Kershaw e Curiosity Killed the Cat, todos juntos numa noite de pura nostalgia e êxitos non-stop!
Here And Now é o espectáculo ao vivo de maior êxito alusivo aos anos 80, sendo uma marca lançada em 2001 e tendo-se tornado num sucesso estrondoso desde então. O que torna Here And Now tão único é o facto de todos os artistas actuarem e deste se tratar de um espectáculo composto apenas por temas de sucesso. Muitas das bandas reuniram-se especialmente para esta digressão ou, em alguns casos, é a primeira vez em muitos anos que vão actuar ao vivo.

Toda a info aqui.

segunda-feira, abril 13, 2009

Gnawledge: disco de borla


"Granada Doaba" é um projecto de hip hop instrumental enraizado na música tradicional da Andaluzia. Este projecto musical faz parte da investigação etnomusicóloga de Canyon Code sobre o intercâmbio multicultural dos músicos de Al-Andalus. Os produtores da Gnawledge, Canyon Code e Gnotes, fazem assim uma homenagem à fértil historia de Granada, misturando o flamenco e a musica árabe com ritmos afro-electrónicos.

Mais info e download grátis aqui.

sábado, abril 11, 2009

TB-303


Em 2005 Nate Harrison editava um simples, mas interessante, documentário - Bassline Baseline - sobre a invenção, a queda e o ressuscitar do mítico Roland TB-303 nas 2 últimas décadas do século XX.





Ainda sobre o TB-303 fica mais um documentário, desta feita sobre a The Acid Symphony Orchestra e a peça para 10 Roland TB-303 ("so run the tears as wine") tocada ao vivo no Festival For New Music (Finlândia)em 05.Agosto.2007.
The Acid Symphony Orchestra é dirigida por Jori Hulkkonen e tem como músicos Jesper Dahlbäck, Kalle Karvanen, Aku Raski, J-P Parikka, Janne Puurunen, Kimmo Oksanen, Petri Salonen, Tuomas Toivonen, Johannes Auvinen e Tatu Peltomäki.




Roland TB-303 na Wikipedia

Sobre o futuro da promoção

"All the promotion now is through internet, and it’s very good because even if the music is free now, you get international with the internet. My first single, right away after launching it on the radio in Paris, it was everywhere in the world. Even though it’s free and there is no money or no income in it, the promotion is huge, and if the track is huge, you’re going to be requested as a DJ to play everywhere in the world."

Bob Sinclair em entrevista para A|X Music Lounge

sexta-feira, abril 10, 2009

Festival do Ar

[clica na imagem para ampliar]

Weird and wonderful guide books


Em continuação com o seu guia online semanal, a Le Cool criou uma série de guias de cidades europeias com o sugestivo nome de Weird and Wonderful Guide Books. As cidades por agora publicadas são Londres, Barcelona, Amesterdão, Madrid e Lisboa.



O nosso destaque vai, evidentemente, para a edição Lisboa.
A Weird and Wonderful Guide to Lisbon tenta mostrar o coração que bate forte dentro da cidade, das raízes mouriscas aos bares africanos, das velhas mercearias aos clubs e restaurantes mais hype, sem esquecer as personagens singulares da cidade mais ocidental da Europa. Nas palavras da sua editora Joana Pinto Correia mostrar a Lisboa que os turistas desconhecem.
Cada página foi desenhada individualmente com o intuito de dar a sensação de estar no local que se fala no guia.





quinta-feira, abril 09, 2009

Discos novos na Zona 8

Martyn "great lenghts"

A música deste disco de Martyn é difícil de catalogar, pelo simples facto que bebe de várias influências e que vão dar ao estilo "martyn" (como é chamado pelo próprio). Um dos fãs da música de Martyn e da sua editora 3024 é François K, facto que já o levou a tomar conta de uma noite Deep Space de François.
"Great Lenghts" vive por entre territórios techno e dubstep, mas sem esquecer outros géneros como a house, a IDM ou mesmo ambient. O disco conta com 2 participações vocais de dBridge e de Spaceape, mais conhecido por trabalhar com Kode 9. Ruídos digitais, graves profundos, ecos dub, tapetes de sintetizadores ou dedicatórias a Detroit fazem deste disco um disco alternativo e visionário.


>posto de escuta<




Eric Kupper Presents K Scope "electrikiss"

É com bons olhos que vimos que ao fim de 10 anos de colaboração com os maiores nomes da dance music, o norte-americano Eric Kupper lança o seu longa duração. Kupper para além de ter escrito o mega clássico de Frankie Knucles "whistle song", escreveu tambem sucessos de Madonna, Destiny´s Child, Britney, Kelis, Jamiroquai, Depeche Mode e David Bowie (apenas citando alguns!), já remisturou para Garbage, Usher, Alicia Keys, BT, Marianne Faithful, Goldfrapp, Cher, Shakira, Enrique Iglesias, Sheryl Crow, Lenny Kravitz, Kylie Minogue, Korn, Moloko, New Order, Yoko Ono, Dido, Brandy, Curtis Mayfield, Brand New Heavies, Afrika Bambaata & Soulsonic Force, Kate Bush, 808 State, Jessica Simpson, Donna Summer, entre muitos outros. "Electrikiss" apresenta 11 faixas bem elaboradas e que se nota que Kupper sabe mexer em todos os botões e teclas por onde passam os seus dedos.


>posto de escuta<





Magnífico álbum de estreia do projecto Pendle Coven. Este duo de Manchester (Miles Whittaker, também conhecido por DJ Miles ou MLZ e Gary Howell, editou recentemente pela Modern Love este "Self Assessment". Um belo disco techno de fusão entre a herança Basic Channel, o electro de Detroit dos anos 80, o ambient techno, o dubstep, o minimalismo ou produção deep house.
Em "Self Assessment" encontramos 5 faixas já anteriormente lançadas em máxi e 6 nunca antes editadas todas elas com um deleitante ambiente muito próprio e para ouvintes exigentes.


>posto de escuta<




Tokyo Black Star "black ships"

Divididos entre Tóquio e Nova Iorque, os Tokyo Black Star são formados por 2 grandes nomes da produção: DJ Alex From Tokyo, dj com actuações regulares nos vários pontos do planeta, e Isao Kumano, engenheiro e produtor de som de grande perfil, multi-talentoso e especializado em todos os aspectos da produção musical.
Este "Black Ship" navega pela galáxia fora onde vai ao encontro de vários amigos do duo como Dixon (cujo duo influênciou na criação da editora Innervisions pela qual editam este disco),
Tomokazu Matzuyama, artista que criou a arte das capas e do inlay de "Black Ship" ou ainda com Rich Medina que dá a sua distinta voz ao tema titulo do álbum. Esta é uma obra que pode ser descrita como um bom exemplo de uma narrativa moderna de música electrónica orientada para a pista de dança (mas não esperem por temas de "hora de ponta"), maioritariamente com produção deep house.


>posto de escuta<

quarta-feira, abril 01, 2009

The Boat That Rocked


Inspirado na revolução das rádios piratas britânicas dos anos de 60, o filme conta a história de um grupo de amigos DJs que montam uma emissora num grande navio de pesca atracado na costa da Inglaterra. O ano é 1966, quando a principal rádio do país, a BBC, dedicava apenas duas horas por semana tocando rock and roll. Eis que uma emissora pirata cria uma programação de rock 24 horas por dia. O sucesso é imediato. Cerca de 25 milhões de pessoas sintonizam a rádio diariamente - mais da metade da população inteira da Inglaterra.
Com realização de Richard Curtis, "The Boat That Rocked" conta com participações de Kenneth Branagh, Philip Seymour Hoffman, January Jones,Chris O´Dowd, Tom Sturridge, Rhys Ifans e Bill Nighy, entre outros.





Playboy Portugal

Ao fim de 55 anos de existência da revista, Hugo Hefner decide lançar a Playboy Portugal e refere "fico especialmente satisfeito por ver a nossa revista na nação mais antiga da Europa, berço de gigantes como Vasco da Gama, Luis de Camões, Fernando Pessoa, Eça de Queiroz, Amália e, mais recentemente, José Sarmago, Siza Vieira e Mariza".

playboy.frestacom.us