sábado, dezembro 24, 2005

Bom Natal!!! (parte 2)

O Natal é a época na qual se deseja recerber aquilo que mais desejamos.
Aqui na Zona 8, desejamos que tudo de bom vos aconteça e que a Aldeia Global se torne um sitio melhor para vivermos.
Last but not least, façam favor de dar um presente á nossa nave azul: reciclem tudo aquilo que vai sobrar deste Natal.
Para os mais distraidos avisamos que já existem muitos ecopontos perto.

Bom Natal!!!

Sendo o Natal uma época para desejar coisas boas...

Uma sapatilha com o nome Ponte Sor


Uma pesquisa por imagens na Internet com o nome Ponte de Sor [nr: já feita por vários blogs do burgo] revelou que o nome da nossa terra está também associado ao calçado desportivo.
O motor de busca “Google” aponta-nos um ténis preto e vermelho com a referência “Ponte Sor” comercializado pela marca alemã Birkenstock Footwear. (...)
Ao que conseguimos apurar, os ténis não estão à venda em Portugal.Mas as buscas na Internet revelaram mais curiosidades. Outro site, também germânico (footprints.de) coloca a nossa curiosa sapatilha ao lado de outras com nomes de cidades portuguesas. São os casos de Braga, Santarém e Faro. Não é cá por coisas mas o nosso ténis é o mais bonito da colecção. E ao que parece também está a fazer furor no outro lado do Atlântico.
O site norte-americano, “fitnesstravelgear.com” é, de longe, o sítio que fornece mais informação sobre o sapato desportivo… E em inglês, o que é uma grande ajuda para o escriba. No site pode ler-se que o ténis Ponte Sor “tem uma palmilha removível com apoio para o metatarso e solas flexíveis de borracha. Os ténis Ponte Sor oferecem (a quem os usa) um estilo atlético com quatro riscas de couro e uma faixa vermelha para contraste”. Nada mau!
Mas a descrição não se fica por aqui quando se trata de enaltecer um mero sapato desportivo com um nome tão ilustre. Com o discurso na primeira pessoa, reporta, in a quite typical amercian style: “cada vez que eu calço estes sapatos, homens e mulheres perguntam que tipo de ténis estou a usar. Eu adoro estes sapatos porque preciso de uma palmilha que me dê apoio. As palmilhas de cortiça, às quais adicionaram uma protecção extra no calcanhar, moldam-se ao meu pé”.
adaptado de www.ecosdosor.com

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Passagem de ano em Évora


(clica no flyer para aumentar)

Techno: o documentário interactivo


A Springtime Productions, com a colaboração da estação de tv austarliana ABC, realizou um documentário sobre a história do techno e da house.
«Sounds Like Techno» fez parte da selecção oficial do festival Sundance 2004.
Este documentário, interactivo e muito completo, faz o percurso do techno desde as suas raízes até a actualidade com testemunhos de nome importantes com Derrick May, Steve Law ou Stacey Pullen.
Destaca-se também por aqui a banda sonora com os temas mais marcantes da cena.
A não perder por veteranos e principiantes.

terça-feira, dezembro 20, 2005

Natal...


…e depois, há o tema natalicio, trabalhado e explorado até ao grau da loucura colectiva; são os efeitos de Natal, fitas, coroas, o pai Natal electrónico que canta, ri e dança o vira, as flores, os arranjos, as luzes nas ruas, etc, etc. Nenhum pobre mortal consegue escapar à onda devastadora de luz e cor que invade o mundo.

Mas há coisas piores, como por exemplo, as musicas de Natal.
Uma pessoa chega a dia 15, pouco mais de uma semana antes do grande dia e os nervos já não aguentam as musicas natalícias, que ainda por cima são sempre as mesmas e sempre más. Entre o Bing Crosby com o “white christmas” e o Coro de Santo Amaro de Oeiras, venha o diabo e escolha, passando pela Mariah Carey e outros cromos, venha o diabo e escolha.

Até parece mal falar do diabo numa quadra dita santa, mas se ele existe, deve estar a esfregar as mãos e a dar festas na sua cauda demoníaca com o que a sociedade ocidental fez do Natal. O que era a celebração sacra, solene e austera_não nasceu o menino numa gruta, entre palhas, filho de mãe imaculada e pai putativo e apenas com a companhia de uma vaca e um burro?-para uma festa de consumismo que roça a demência.
(…)


Margarida Rebelo Pinto na sua crónica semanal no jornal Metro

sábado, dezembro 17, 2005

As dj's mais sexys do Mundo por Manny


O nosso amigo Manny resolveu investigar as dj's mais sexys da Aldeia Global.
O resultado publicou-o no seu blog.
Muitas destas senhoras já foram capa de revistas como a Playboy ou Maxim e veem de lugares como Reino Unido, California ou Moscovo.
Será que alguém se vai preocupar de coisas com a técnica ou gosto musical destas senhoras.
Saibam mais no blog do Manny .

quinta-feira, dezembro 15, 2005

«A Noiva Cadáver» de Tim Burton

Estreia a 22.Dezembro em Portugal o mais recente filme animado de Tim Burton, «A Noiva Cadáver».
Ambientado num vilarejo europeu do século 19, trata-se da história de um jovem judeu chamado Victor que vai a caminho de seu casamento. De repente encontra no chão um dedo (ou apenas os ossos...), mas que pensa tratar-se de um pedaço de pau. Victor, por brincadeira, coloca o anel de noivado no ''tal dedo'' e faz o pedido. É quando o dedo se transforma no cadáver de uma moça. O rapaz acha que deve casar-se com ela e procura o rabino para oficializar o acto.
Sabe mais sobre «A Noiva Cádáver» aqui

Festa OMC: desinfesta-te!

Objectivo: chamar a atenção para a Cimeira Interminesterial da OMC, que decorre neste momento em Hong-Kong e culmina este Sábado.
Com intenções neoliberalizadoras que, de entre muitas, têm vindo a destruir, quer comunidades humanas, quer o planeta, propõem agora "on the table" a eliminação de barreiras às exportações e importações agrícolas. O que compromete em muito a auto-suficiência de várias regiões e a liberalização de serviços. Como a educação.
A festa tem um meaning importante, portanto. Promovida pelo GAIA, ATTAC e 1001 Danças, vai mostrar também o filme Privatizing the World e um debate sobre a OMC. À noite, Kumpania AlGazarra e Rats in the Upper Story, ajudam à festa.
Para desinfestados, infectados ou em vias de.
Onde e quando:
Ateneu de Lisboa Rua Portas de Santo Antão, 110
Das 18h às 4h
Entrada livre até às 21h.

John Peel


Uma figura de respeito da música e da rádio: John Peel.
Está já publicada a autobiografia em que John Peel estava a trabalhar e que, pela sua inesperada morte, há cerca de um ano, no Perú, implicou trabalho adicional da sua viúva, Sheila Ravenscroft, que terminou o texto.
O livro, Margrave Of The Marshes, por enquanto só em português, é uma colecção de memórias, desde os dias de escola à descoberta da rádio, primeiro em estações pirata, depois na BBC Radio 1, onde Peel se afirmou como um dos mais marcantes visionários, abrindo terreno a inúmeras carreiras que apadrinhou e lançou. Afinal, não essa uma das funções do profissional nesta área? Como poucos, manteve-se atento às sucessivas vagas de novidade, determinante nas descobertas do psicadelismo, glam rock, punk, new wave, som indie de 90, manifestações de redescoberta do punk em 90 e emergência das novas electrónicas. Apenas o metal e o hip hop não lhe encheu as medidas…

Um livro, quem sabe, para uma boa prenda de natal para quem ama a música e a rádio (que poderá vir acompanhado pelo cd de tributo a este mito britânico)

Coldcut em novo registo discográfico


A dupla de dj's ingleses Coldcut está a preparar um novo álbum.Este álbum tem data de lançamento marcada para o início do próximo ano de 2006 e vai ter o nome "Sound Mirrors", contando com o habitual carimbo da Ninja Tune."Sound Mirrors" conta com 12 faixas com participações muito distintas, entre as quais as de Roots Manuva, Mike Ladd e Saul Williams.

«3121» o novo albúm de Prince


Prince negociou com mais uma multinacional a edição do seu próximo álbum, que será editado em inícios de 2006.
A editora agora escolhida foi a Universal, que terá em suas mãos, brevemente, o álbum 3121, que será antecedido pelo single Te Amo Corazon (I Love You Sweetheart), com teledisco realizado por Salma Hayek. A canção é um mid tempo, quase a resvalar para a balada, com arranjo sumptuoso a lembrar o ambiente de piano bar, com travo jazzy, de um hotel em clima retro…
Um excerto deste tema pode escutar-se na zona de downloads do site oficial de Prince onde se pode já comprar este mp3, assim como o teledisco. Na loja do site estão já à venda T-shirts alusivas ao álbum.
Depois de se ter separado da Warner em meados de 90, após quase 20 anos de relacionamento (do qual resultaram os seus melhores álbuns, como Purple Rain, Around The World In A Day, Parade e Sign Of The Times), Prince emancipou-se e passou a editar pela sua própria editora, a NPG Records.
Pontualmente Prince (que lá se resolveu a recuperar o nome e deixar símbolos e vítores como devaneios inconsequentes a esquecer) tem licenciado com multinacionais o lançamento internacional de alguns dos seus discos.
Em 1997 escolheu a EMI para o triplo Emancipation. Há dois anos foi a Sony quem lançou Musicology.

terça-feira, dezembro 13, 2005

A&R da Kompakt em terras lusas

Reinhard Voigt edita pela Kompakt, onde trabalha como A&R, conferindo à editora uma direcção e identidade única, na procura, por entre centenas de demos, daquela sonoridade especial que tem feito da Kompakt e das suas edições, uma referência a nível mundial.
Como remixer, foi convidado a trabalhar temas de Andreas Dorau, Mathias Schaffhauser, The Modernist, Closer Musik, Electric Índigo, entre outros.
Sexta, 16 de Dezembro de 2005 @ Faculdade de Belas Artes, Porto, a partir das 01h00: Reinhard Voigt (live) + djs
Sábado, 17 de Dezembro de 2005 @ Op Art, Lisboa, a partir das 02h00: Reinhard Voigt (live) + Expander (dj) + Manu (dj), Lexander Kowalski+ Paul Kalkbrenner (live) + The Wighnomy Brothers (dj) + Expander (dj) + Nelson Flip feat. Yellow(dj + mc) + Manu (dj)

Jazzanova em Portugal

A tour europeia do novo albúm de remisturas «The remixes 2002-2005», desdobrou os músicos, produtores e dj's Alexander Barck, Claas Brieler, Jürgen von Knoblauch, Roskow Kretschmann, Stefan Leisering e Axel Reinemer, mais conhecidos por Jazzanova, para poderem actuar em várias cidades ao mesmo tempo.
Portugal vai receber parte dessa comitiva nos dias 16.Dezembro no Idunabar (Matosinhos) e 17.Dezembro no Clube Mercado (Lisboa).
Este colectivo é responsável pelos albúm de originais «In Between» (de 2002), vários singles e inumeras remisturas para outros artistas, assim como das editoras Compost, JCR e Sonar Kollektiv.
Os Jazzanova têm sido dos nomes mais importantes na renovação do jazz e da sua fusão com as novas tecnologias e as pistas de dança.

Mercado do Livro em Évora

Esqueça-se a ideia de que só existe divulgação cultural nas grandes metrópoles. A 2ª edição do Mercado do Livro, a decorrer até ao próximo dia 18 de Dezembro nas instalações do Centro Comercial S. Domingos, em Évora, serve para provar o contrário.
Além de contar com a participação de um total de 80 editoras nacionais, o que cria a possibilidade de que os visitantes comprem obras literárias a preços reduzidos, há ainda espaço para várias iniciativas culturais. Em paralelo com o Mercado do Livro, que foi inaugurado no passado dia 28 de Novembro com uma sessão de contos de Jorge Serafim, vão realizar-se, no mesmo espaço, mas também no Teatro Garcia de Resende e nos Celeiros da EPAC, exibições de peças de teatro, seminários, espectáculos musicais e de poesia, bem como workshops e a apresentação de duas curtas-metragens.
Uma sessão com a escritora Ana Maria Magalhães, contos para pais e filhos com Maria do Ó, o espectáculo musical e de poesia "A Sul de Ti", de Jorge Serafim, e um encontro com o escritor José Luís Peixoto e o músico Fernando Ribeiro, dos Moonspell, são outras das iniciativas agendadas. Além disso, o programa integra workshops de ilustração e BD, conversas sobre ilustração com José Miguel Ribeiro e a apresentação de duas curtas-metragens.
Não percam. Até ao próximo dia 18, em Évora.
in RDB

domingo, dezembro 11, 2005

Face_WSLOT


«...raparigas de 10 e 11 anos são dadas aos Oficiais como esposas. Essas raparigas são novas demais para coisas de pais e mães. Os Oficiais vão com elas para a cama, o que depois faz com os seus ventres incham porque o seu corpo não està pronto para este acto. Maior patre das vezes, essas raparigas morrem.»
(de "GoodToGo"/Face_WSLOT)

Face_WSLOT é um projecto de arte social, que explora as vidas de 3 mulheres ex-crianças combatentes no pós-guerra de Serra Leoa e o seu esforço para se libertar dessas vida. O objectivo principal deste projecto ajudar mais raparigas como estas a terem uma nova vida. O método de trabalho é o de se envolver com artistas locais e internacionais e distribuir o resultado dessas colaborações por vários territorios e o lucro obtido reverterá a favor desse territorio.
Este projecto em concreto (cd e livro) é o encontro com a trajectória da vida dessas três mulheres, acompanhado de imagens e mapas, artigos de vários autores, tudo acompanhado com música original baseada nos elementos acima referidos.

Face_WSLOT (livro+cd)
Female ex-childs combatants in Serra Leone
By Meira Asher-Bodylab Foundation


Mais info em :
bodylab.org
meiraasher.com

..........
..........
Agradecimentos neste artigo a Ângela Araújo.
"O século dos computadores merece uma música própria"

citação de Miguel Carvalhais na vector#03

O melhor da terra do bacalhau ;)


Hans-Peter Lindstrom, mais conhecido por Lindstrom, é provavelmente o produtor que mais atenções tem gerado em torno da Noruega nos últimos anos.
A sua lista de créditos de remisturador inclui ilustres como Juan MacLean, Chicken Lips ou LCD Soundsystem.
Este auto-confesso tímido apanhou o vício da música cedo. "Aos 10 anos tive a minha primeira cassete, que achei na rua. Era o álbum de Boney M, com uma mulher nua na capa. Ainda hoje é um dos melhores discos que tenho em termos de produção".
Uns anos mais tarde compra um teclado, mas foi a guitarra que o fez apaixonar-se por sonoridades como as que hoje se versa - Disco e House.
"Actualmente toco todos os intrumentos nos meus temas - baixo, guitarra, bateria e teclado - para que as minhas músicas se tornem verdadeiramente pessoais. Não uso samples, porque todos usam o Reason e isso para mim não representa a visão íntima do produtor".
Sobre a paixão pelo Disco ama apenas o facto de poder ser "imensamente versátil, vanguardista, mas também comercial".
Esta pequena introdução serve para aconselhar a escuta de uma das últimas edições norueguesa Beatservice : " Prima Norsk 3 ". Aqui dá-se a conhecer alguns dos melhores produtores nórdicos de house e disco.
..........
..........
Uma dica : para além destes temas de Lindstrom aqui incluídos tentem descobrir o fantástico white label que por aí anda a girar nalguns gira-discos dos melhores dj's internacionais.

Blogs

«Os blogs são instrumentos da cultura de elites. São lidos por um pequeno número de pessoas e são influentes. Nalguns casos, mais influentes que os jornais.
(...)
Os blogs permitem aos internautas aceder ao espaço público com uma voz própria.
(...)
Estamos a viver num mundo em que de cada casa sai uma voz como sai fumo da chaminé. O facto dessas vozes existirem, se ouvirem, quer queiramos ou não, mudou o mundo, e vai mudar mais.
(...)
A blogosfera introduz elementos de correcção ao trabalho dos media com um papel de construcção de uma memória colectiva em tempo real, que às vezes os media não tem.»
Palavras do professor e historiador Pacheco Pereira, num colóquio sobre os blogs realizado a 08.Dezembro'05

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Gilles Peterson BBC Sessions

Depois da fantástica actuação de Gilles Peterson na Sala 2 da Casa da Música nesta madrugada (08.Dzembro), que trouxe até nós o melhor do seu programa WorldWide da BBC Radio 1 (locução incluída!) com funk, jazz, detroit techno, brokenbeat, soul, house e até mesmo samba numa casa que não estava cheia, mas a imensa minoria (cerca de 600 pessoas) que ali se encontrava sabia muito bem para o que ía e dançou toda a noite (nota final: a noite acabou com Gilles e os Reel Peolpe, que tinham actuado antes, numa jam session em cima do palco) , nada melhor do que recomendar (para prenda de natal quem sabe) o novissímo cd «The BBC Sessions Vol.1».
Este novo projecto de Gilles, é uma ideia que estava a amadurecer há 5 anos . Gilles reuniu num duplo cd as sessões realizadas em directo para o seu programa WorldWide nos lendários estúdios Maida Vale da BBC londrina (por lá eram tambem realizadas as sessões de John Peel).
Em «The BBC Sessions» encontrmos actuacões exclusivas de Bjork, Beck, The Roots, Amp Diddler, Common, N.E.R.D, Matthew Herbert, Roots Manuva, Peven Everett, Plantlife, Fat Freddy´s Drop.... são cerca de 30 artistas de todo o mundo cuja qualidade e reputação são inegáveis.
Criatividade musical em estado puro.

Toda a informação de «The BBC Sessions Vol.1) aqui:
gillespeterson.net
P.S.: já que este cd é o Volume 1, esperamos que não demore muito o Volume 2 ;)

segunda-feira, dezembro 05, 2005

Rainer Truby no Bazaar : 09.Dezembro


A partir da chamada "Pleasantville" da Alemanha - Freiburg, um verdadeiro cruzamento da Europa Central a alguns minutos das fronteiras da França e Suissa e no limite da Floresta Negra, chega Rainer Truby, um tipo que colecionava carteiras de fósforos de hoteis, que o diga a sua mãe que ainda a guarda na cave.
Actualmente este alemão tem uma das colecções de discos mais invejada do planeta e é um dos produtores mais consagrados a editar pela Compost Records.
Os seus sets são uma mistura de de sons "leftfield" com pérolas de soul, jazz e musica brasileira pautados por um elevado nivel de qualidade. Um dos seus maiores fãs é o inglês Gilles Peterson (que vai estar na Casa da Música na 4ª-Feira) da BBC Radio 1.
Rainer Truby vai actuar como dj no espaço do Bazaar ( bazaar.com.pt ) esta 6ª-Feira, dia 09.Dezembro acompanhado pelo português Tiago Dias.
Para os mais curiosos deixamos aqui a playlist deste dj a 02.Dezembro:
01. Bangana - "Bang Bang Bang" - Heya Hifi
02. Patchworks - "Brothers On The Slide (Brooklyn Mix)" - Still Music
03. Akabu - "Phuture Bound (Medusa Mix)" - Interface
04. Notenshun - "Amarante (Restless Soul Remix)" - Chillifunk
05. Orgatronics - "Footprints" - One Note
06. Marcus Worgull - "Dragon Loop" - Inner Vision
07. Studio Apartment feat. Terence Downes - "We Are Lonely (Quentin Harris Dub)" - King Street
08. Alton Miller - "Cosmic Slop" - Test
09. Foster - "Loud Minority" - Test
10. Skalpel - "1958 (Quantic Remix)" - Tru Thoughts
11. ISoul8 - "On My Heart" - Test
12. Laurentius - "Karate Samba (SciFi Mix)" - Test
13. Jamie Finlaye - "Temperature" - WahWah 45
14. Alex Valentin - "Brazil Nuts" - Mettle Music
15. Jackmate - "Tesla" - Philpot
16. Mandrill - "Believe In You" - Montage
17. Baker Brothers - "Walk Into My World (Domu Remix)" - Test
18. Marvin Gaye & Tami Terrell - "Ain`t No Mountain High Enough" - Bern
19. The Politik - "Money" - Antipodean
20. Teule - "Drink On Me" - House Party
21. Owusu & Hannibal - "Delirium (Morgan Geist Remix)" - Ubiquity
22. Big Bang - "To The Full" - Arision
23. Olivier Kaiser - "The Pressure (Orlando Voorn Remix)" - Project
24. Ernesto - "Blame It On The Melody (Yukuhiro Fukutomi Remix)" - Exceptional
25. Mille & Mr. Hirsch - "Push You (Lowtec Remix)" - Playhouse
26. Riovolt - "Brisa (Sicania Soul Remix)" - Irma
27. Pal Joey - "Crazy Boy" - Loop D Loop
28. Fish Go Deep - "The Cure And The Cause (Dennis Ferrer Remix)" - Go Deep
29. Ameaba - "Salty Tears (Atjazz Astro Remix)" - Neuton
30. Eduardo Conde - "De Onde Vens" - Philips

Andy Smith a 07.Dezembro

A discoteca Industria, no Porto, vai receber esta 4ª-Feira, 07.Dezembro, o fantástico dj dos Portishead, o Sr. Andy Smith.
Incluido na digressão da colectânia «The Document III», espera-se uma noite recheada de muitas pérolas do funk, soul, hip hop ou mesmo do rock aliada a uma mestria técnica caracteristica deste dj.

domingo, dezembro 04, 2005

Street art de Julien Beever


A street art foi a forma mais assumida de democratizar a arte, tornando possivel ve-la em sitios nunca antes imaginados. Embora o grafitti seja a forma mais célebre, a verdade é que existem artistas para além disso que nos surpreendem em qualquer rua da Aldeia Global.
Exemplo disso é o fantástico Julien Beever, que há mais de 10 anos ilustra os passeios de vários pontos da Aldeia Global como Reino Unido, Bélgica, França ou E.U.A., entre outros.
A originalidade deste artista é conseguida através da criação, no chão, de pinturas capazes de nos dar a ilusão de as estarmos a ver a 3D, quando vistas de um certo ângulo.
Podem ver a arte de Beever aqui ou ainda aqui.

10 anos de CoolTrain Crew


O colectivo CoolTrain Crew comemora dez anos de actividade na próxima 5ª-Feira, dia 22 de Dezembro, no bar-discoteca Lux, em Lisboa.
Nesta festa os novos e os antigos membros do colectivo vão actuar juntos. Os dois andares do espaço vão estar por conta de Johnny, Vítor Belanciano, Riot, Dinis, Nuno Rosa, Rui Murka, Lil’John, Tiago Miranda, Alx e Kalaf. Este último no microfone.
O lançamento, no início de 2006, de um CD-Compilação, reunindo remisturas e produções para artistas como Táxi, Da Weasel ou Blasted Mechanism, será outro marco das comemorações.
O som deste colectivo nacional percorre os ritmos drum'n'bass, hip hop, brokenbeat ou nu-soul e e bebe de inspiração nos grandes nomes do jazz e da música negra.
O colectivo está directamente ligado a editora Enchufada.
Mais info em:

Festas para todos!!!





















( Clica nos flyers para aumentar )

Caixa de Ritmos humana: Kid Beyond


Beatboxer á mais de 20 anos, Kid Beyond consegue produzir o som das caixas de ritmos, loops de hip-hop, ritmos techno, scratches, violinos, sintetizadores - apenas com a boca.
Kid Beyond já ganhou uns quantos prémios para o melhor beatboxer.
Descobram porque aqui.

O site de Kid Beyond é: kidbeyond.com

sábado, dezembro 03, 2005

dAnCE DAMage


«Pretendemos ora ignorar ora manipular expectativas e formatos pré-concebidos no sentido de erigir o reinado da criatividade em bruto, sem academismos atávicos e restritivos, encarando a vida e a música da única maneira contraditória que nos parece a correcta: nada é verdade, tudo é permitido.»
Esta é uma das possiveis apresentações do dAnCE DAMage, um projecto de Santo Tirso (Porto) de Pedro Magina, André Abel e Filipe Martins.
Nascidos em 2003, os dAnCE DAMage já tocaram em espaços como o Lux (Lisboa), Galeria ZDB (Lisboa), Mercedes (Porto), FNAC (Porto), Lounge (Lisboa) ou Porto-Rio (Porto) ou com projectos como Frango, Orgasmo, Veados Com Fome, Loosers, Fish & Sheep, os espanhois Grabba Grabba Tape e Ginberno ou ainda os alemães Namosh.
Pode então dizer-se que este projecto é um trio criativo, de orientação DIY contemporâneo, inpirados por inumeras referências sonoras (mas não só), consolidada pela teimosia (felizmente!) ditada pela irmandade entre os seus membros.
Encontram-se a preparar a gravação do seu primeiro álbum

Os dAnCE DAMage vão actuar ao vivo com DJ Deev e SSTFM no espaço do Maus Hábitos dia 07.Jan'06

Mais info dAnCE DAMage em:
http://myspace.com/dancedamage
http://dancedamage.tripod.com

segunda-feira, novembro 28, 2005

DJ Deev com dAnCE DAMage+SSTFM

(CLICA NO FLYER PARA MAIOR DEFINIÇÃO)

Difere: de Santarém para o mundo...urbano


Entrevista realizada a Artur Casaca, fundador e director da Difere, Skater, Dj e promotor de eventos.

A DIFERE é inicialmente publicada como sendo uma revista sobre skate. A estrutura actual equilibra-se dentro de toda uma cultura urbana.
Esta nova abordagem deve-se à intrínseca relação do skate com toda a cultura dita urbana?
AC- Sem dúvida, pois o skate enquanto actividade de rua é um dos principais elementos da cultura urbana, assim como, por exemplo, o graffiti. Apesar dos membros da equipa, na sua génese, paralelamente terem participações activas e grande interesse noutras artes interligadas como música, moda, ou outros desportos como o snowboard, a ideia inicial era uma publicação que focasse essencialmente o skate num ângulo desportivo com ligeiras abordagens ao estilo de vida e cultura inerentes. À medida que, na prática, começámos a desenvolver a DIFERE, da interacção e do aprofundamento do movimento que retratávamos, ganhámos sensibilidade e compreensão da ligação entre este e a arte, a música ou a sétima arte. Este posicionamento é tão natural que antes desta consciência a DIFERE já tinha um público/comunidade com os interesses que agora apresentamos em cada número.

‘DIFERE’, de ser diferente?
AC- Em grande parte sim. Uma perspectiva diferente. Como reacção e como resultado do meio de onde provém e se destina a DIFERE. Facto evidente é que uma das edições da grande revista “V” sublinhava com observação de que a história da moda deste movimento é a anti-moda, e assim consequentemente e continuamente DIFEREnte.

A DIFERE aposta fortemente no design, estando esse trabalho a cargo de alguns dos mais conhecidos designers. Tem sido uma aposta desde o início do projecto?
AC- Sendo a publicação representativa de pessoas dinâmicas e sensíveis à arte, naturalmente que o design é uma das fortes componentes. Intencionalmente ou quase por acaso, a DIFERE sempre foi “abençoada” por notáveis designers. Os designers que maior protagonismo tiveram foram os do atelier RMAC que até tiveram o mérito de terem conseguido três importantes prémios de design. Mas há mais destaques, como termos começado a DIFERE inspirados na filosofia de um grupo selecto de revistas como a “Flaunt” e um dos colaboradores iniciais, o Carlos Quitério, estar a colaborar com essa revista figurando ao lado dos maiores nomes internacionais. A propósito das colaborações de design o premiado criativo José Ricardo Cabaço, que entre outros cargos criativos comanda o marketing europeu da Nike, afirmou em entrevista pública, num importante jornal nacional, que se voltasse a Portugal desejava trabalhar com Ricardo Mealha e Carlos Quitério, os dois nomes que aqui se enaltecem pela sua colaboração com a Difere. Protagonismos notáveis fazem a DIFERE e não se restringem apenas ao design como noutras contribuições que tivemos, seja exemplo a música, em que tivemos a contribuição do Mc Ace dos Mind da Gap ou o João Marques dos Fonzie, entre outros.

Todos que nela participam são skaters?
AC- A equipa principal é formada por pessoas que não só retratam, como vivem intensamente todo o movimento que retratam e o mesmo alarga-se à maioria dos colaboradores em que, por exemplo, temos notáveis músicos a falar de música ou notáveis artistas a entrevistar outros artistas.

Existem reportagens de eventos tanto em Ovar, como Leira, Lisboa ou Porto. A DIFERE desloca-se sempre às localidades, ou também já há um feedback por parte dos vossos leitores que vos enviam material informativo?
AC- Sucedem ambos os casos. Os nossos leitores são pessoas activas. No passado até houve um que se antecipou a nós ao conseguir entrar na gráfica e aceder à revista antes de nós, comunicando-nos um balanço do resultado da mesma! Temos sempre iniciativas de reportagens/artigos a desenvolver mas é uma “festa” quando os nossos leitores se envolvem connosco no processo de edição. Neste processo é das coisas mais gratificantes que podem acontecer e que nós incentivamos e apoiamos.

Periodicidade?
AC- A revista DIFERE procura atingir a periodicidade de saída em cada edição de 45 em 45 dias. Para notificação de saída de cada edição os interessados poderão enviar um email com os dados pessoais para difere@difere.com ou subscrever o Boletim (newsletter) no site www.difere.com

Onde adquirir?
AC- De norte a sul, nas melhores lojas da especialidade e em todas as bancas, incluindo ilhas.
Últimas palavrasAC- Quero aproveitar para reconhecer o grande trabalho e contributo de Gabriel Borges Tavares e Carlos André Pereira nos momentos conturbados porque a DIFERE passou – eles tem sido os alicerces. Um agradecimento também à Sara Dinis pela ajuda nesta entrevista e à Margarida Girão que já é parte desta “máfia”. Antes do final do ano, em conjunto com um conhecido fotógrafo, deverá haver em Lisboa mais uma grande festa DIFERE, só que esta com um cariz semi-privado, e também antes do final do ano deverei arrancar com umas noites regulares a culminar com um pequeno festival numa discoteca em Santarém, de onde sou natural. A todos os que tiverem interessados em ir a qualquer um destes eventos basta enviar email a manifestar interesse.

Entrevista realizada por amostra.mgoffline.com



terça-feira, novembro 22, 2005

So Happy In Paris?


“Music, Party, Spirit”.
Este é o conceito por detrás do espectáculo que já correu muitos países e que finalmente vamos poder assistir em Portugal. Criado em 2000 por Michaël Canitrot, pretende ser uma celebração da música. Através de uma escolha bastante eclética de temas por parte do DJ Michaël Canitrot e uma sedutora vocalização feminina, “So Happy in Paris?” apela ao glamour francês dos cabarets e adiciona-lhe uma nova frescura através da música electrónica actual.
Mentor e impulsionador do projecto, Michaël Canitrot é um dos mais respeitados produtores/djs/promotores de Paris. Com um passado ligado ao mundo do espectáculo, Canitrot conseguiu implementar uma ideia inovadora de show, especialmente concebido para discotecas. Depois de ter conseguido implementar-se em Paris, Michaël já levou “So Happy in Paris?” a dezenas de cidades francesas e europeias, onde se destaca a passagem pelo Festival de Cannes e as actuações em Ibiza e Miami.
Dia 30 de Novembro, no Nuts em Cascais.
Se quiserem descobrir mais um pouco sobre a música e o espectáculo “So Happy in Paris?”, podem visitar o site oficial em www.sohappyinparis.com, ou se preferirem, ouvir a música de Michaël Canitrot na FG DJ Radio em www.radiofg.com.

segunda-feira, novembro 21, 2005

Hi Hotel






O Hotel Hi, situa-se em Nice (na Cote d'Azur, França) e é um "design hotel" comtemporâneo de luxo criado por Matali Crasset (antigo colaborador de Philippe Starck).
A editora F communications (de Laurent Garnier) organiza o "sound design" e a programação das "mix dj" de música electrónica que se pode escutar no Hi.
Há ainda neste espaço um restaurante biologico (a "Cantine Bio"), um espaço spa (hamman, massagem shiatsu, reflexogia, piscina) e uma sala de seminários.
Alex Kid, Aqua Bassino, Fabrice Lig, Frederic Galliano, Jory Hulkonen, Laurent Garnier ou Llorca, foram alguns dos dj's e produtores que já criaram, e irão criar, bandas sonoras para este hotel.

Geração W

A literacia digital "deve ser inscrita nas prioridades políticas e pedagógicas", porque o que está em causa "é algo de fundamental" para a sociedade e a economia.
A sugestão partiu de Manuel Pinto, docente na Universidade do Minho (UM), um dos participantes no seminário "Geração W - educação e media", que decorreu na Maia. Manuel Pinto, autor de «A Televisão no Quotidiano das Crianças», reconheceu que, por exemplo, descobriu a realidade dos blogues com os seus alunos, a geração da literacia digital "que está em vários lados ao mesmo tempo" e introduz novas palavras na língua. Com essa partilha, disse, redescobriu a sua condição de docente.
Afinal, o que é a geração W? O docente da UM traçou-lhe o perfil são os utilizadores da Internet, dos jogos electrónicos (que em volume de vendas já ultrapassam o cinema de Hollywood) e do telemóvel. No fundo, "uma geração conectada", embora isso não signifique que "comuniquem melhor do que nós".É também uma geração "(des)enganada", embalada no "canto da sereia dos poderes das tecnologias". "Despistada", porque carece das "grandes referências"; e "sem grande horizonte", a nível de emprego e "estabilidade afectiva".
Segundo Manuel Pinto, "há o risco cada vez maior da cultura digital cavar o fosso com a cultura escolar". Por isso, e como falava para uma plateia de professores, disse que é preciso "assumir o desafio do digital - nós também somos a geração W, mas por defeito".
Eduardo Cintra Torres, outro dos intervenientes no debate, promovido pela Direcção Regional de Educação do Norte, falou do peso da TV no quotidiano dos portugueses. O crítico de TV e media lembrou que as nossas crianças, em termos europeus, são as que mais horas passam à frente do ecrã, e que o televisor, lentamente, aparece em quase todas as divisões da casa. Aliás, em certas habitações, o número de televisores é superior aos moradores.
Para a directora da revista Notícias Magazine, Isabel Stilwell, é necessário encontrar alternativas para a geração W, porque o "mundo virtual" é insuficiente. A esses jovens, disse, devemos dar-lhes uma bússola", os valores "têm de ser recriados por eles". E lembrou que esta geração também lê, basta ver os índices de leitura.

quinta-feira, novembro 17, 2005

Zeric e o Parkour


Como é que um alentejano em Lisboa acaba a saltar prédios, moupis, caixotes do lixo... e tudo o mais que lhe aparece à frente? Chama-se José Gama (ou Zeric) e pratica parkour, um desporto com quinze anos e muitos acidentes a registar. Mas bonito de se ver e alucinante de fazer. Adrenalina urbana em estado puro, um misto de estratégia e esforço físico com espectáculo garantido. Estes meninos são os novos radicais urbanos, dão show e levam a sua prática muito a sério. Não há clubes ou professores, mas gente que se encontra em sites especializados, agendam encontros, discutem percursos e partilham habilidades. Esfolam as mãos como consequência mínima garantida. Encaram a cidade de uma nova forma e nem o betão os faz parar.
Saibam mais sobre este desporto urbano e também sobre José Gama, numa entrevista pela LeCool . [clica aqui]

quarta-feira, novembro 16, 2005

Fame: da tv para os teatros


Fame-O Musical , que surge após os êxitos alcançados pelo filme e pela série televisiva dos anos 80, centra a sua história á volta de uma série de alunos que estudam na New York High School of Performing Arts na 46th Street . Concebido e desenvolvido por David De Silva , argumento adaptado de José Fernandez, músicas de Steve Margoshes e letras de Jacques Levy, Fame o Musical conta uma história profunda e excitante acerca das paixões e dedicação partilhadas por um grupo de estudantes artisticamente dotados.
Pela 1ª vez em Portugal, o espectáculo vai estar no Coliseu do Porto de 25 a 27.Novembro.

Mais info em : fameomusical.com

World Press Photo 2005 - Fórum da Maia


A Fundação World Press Photo, sem fins lucrativos, nasceu nos Países Baixos com o principal objectivo de promover a liberdade de imprensa em todo o mundo, apoiando o fotojornalismo no desvendar e comunicar dos factos sem sujeição a qualquer tipo de censura.
Assim, baseada na liberalização informativa, a World Press Photo surge como uma chamada de atenção em prol de um mundo melhor através da publicação de inúmeras fotos sugestivas de assuntos controversos quer a nível político-económico, quer sócio-cultural.
Todos os anos é feita a eleição das fotografias que compõem cada edição da World Press Photo, cuja exposição está patente anualmente em 70 locais de 37 países de todo o mundo, por um júri internacional independente composto por 9 profissionais de jornais, agências noticiosas e revistas dos quatro cantos do globo.Esta exposição itinerante, única no género, resulta de um concurso anual de fotojornalismo e é subordinada a temas de interesse mundial, tais como: Guerras; Fome; Desastres Ecológicos; Conflitos Étnicos e Religiosos; Repressão e Opressão; Miséria Física e Psicológica.
Está aí a 4ª edição da World Press Photo.
As fotos do mundo para ver até ao dia 27 deste mês. O Fórum da Maia (Maia, distrito do Porto, para os mais "desnorteados"!)funciona de Domingo a Terça-feira das 15h às 19h. Aos sábados tem segundo horário entre as 21h e as 23h.
A entrada custa três euros.

Chicago House ou será Chicago garden? :)

Imaginem-se a dançar no meio de uma das maiores metrópoles do mundo ao som de DJs lendários que nada cobram e tudo fizeram pela música com paixão.
No ano passado, o Departamento de Assuntos Culturais de Chicago tornou esta utopia uma realidade.
Com uma série de eventos chamada Chicago Summer Dance, a cidade convidou grandes nomes como Bad Boy Bill, Frankie Knuckles e Derrick Carter para tocarem às Quartas-feiras, ao longo de dez semanas.
Foi no ano passado.O local era um jardim, poeticamente chamado Spirit Of Music Garden, e neste Verão o sucesso foi ainda mais longe: juntou a grandeza da música da cidade com a actualidade. Farley "Jackmaster" Funk, Marshall Jefferson, Ron Carroll tiveram a companhia de Superpitcher ou Ron Medina."Não há nenhum método particular para esta loucura", defende Brian Keigher, o coordenador do programa. Apesar do público ser maioritariamente de artistas e clubbers, Keigher acha que o evento serve como uma lição sobre a música da cidade para os curiosos. "Muitos dos cidadãos mais velhos dizem: 'Ah, eu oiço isto no ginásio, nunca pensei que fosse música de Chicago'", refere. "Só quero educar as massas com calma e dar o reconhecimento merecido aos DJs desta cidade na terra que é a deles".

in RedBullHomegroove.com

terça-feira, novembro 15, 2005

DMC Buzz Chart ( 04.Novembro ' 05)

1 NICK & DANNY CHATELAIN ‘Is Killing Me’ (Ovum)
2 PHILIPPE B VS TODD TERRY ‘Can You Feel It? (Can You Party)’ (Boss)
3 THE ROLLING STONES ‘Rain Fall Down’ (Virgin) Ashley Beedle remix
4 MEAT KATIE & ELITE FORCE ‘Nu-Tron / All Night Long’ (Adrift)
5 CHROMEO ‘Needy Girl’ (Back Yard)Paper Faces (aka Jacque La Cont)
6 KING UNIQUE ‘Flashing Lights / Curfew Time’ (Junior Boys Own)
7 SUPAFLY INC ‘Erotic City’ (Supafly)
8 RICHIE HAWTIN ‘The Tunnel / Twin Cities’ (Novamute)
9 BURNING DIVAZ ‘I’m Attracted To You’ (Instinct)
10 KINGS OF TOMORROW ‘6pm’ (Defected)